18 de julho de 2017

Lição 4 - Bullying, um Problema Social: Subsidio: Adolescentes - 13 a 14 anos


Pré-Aula:




TEXTO BÍBLICO
Lucas 6.27-36
Destaque
"Façam aos outros a mesma coisa que querem que eles façam a vocês" (Lc 6.31).

LEITURA DEVOCIONAL
SEG.....................................................................Rm 12.2
TER.....................................................................2 Tm 3.1
QUA....................................................................2 Tm 3.2 QUI.....................................................................2 Tm 3.3
SEX.....................................................................2 Tm 3.13
SÁB.....................................................................Mt 24.12
DOM....................................................................Mt 5.44
Objetivos
- Conscientizar a respeito do fenômeno bullying.
- Compreender o que leva as pessoas a praticarem o bullying.
- Mostrara que fazer em caso debullying.

Material Didático
Professor, para a aula de hoje, queremos indicar dois livros que vão ajudá-lo a conhecer mais a respeito do fenômeno bullying. Será muito bom se você puder adquirir estas obras: "Fenômeno Bullying" de Cleo Fante, editora Verus e "Mentes Perigosas nas Escolas" de Ana Beatriz Barbosa Silva, editora Objetiva.

Quebrando a Rotina
Professor, inicie a aula perguntando aos alunas se alguém já foi vítima de bullying. Caso tenha algum aluno, peça que ele diga como se sentiu e o que fez-para superar a:situaç5o. Ouça os alunos com atenção. Em seguida, escreva as seguintes questões no quadro e promova com a classe um debate a respeito do tema.
Questões para discussão:
• "O que fazer diante de um caso de bullying'?"
• "Como podemos ajudar um colega que esteja sofrendo esta forma de violência?"
• "Existe bullying na igreja?:"
• "Como se prevenir do ciberbullying?"
ESTUDANDO A BÍBLIA
Professor, o tema a ser estudado na aula de hoje é bem atual e relevante. Trata-se de um fenômeno social que vem crescendo dia após dia, tornando-se, segundo os especialistas, numa epidemia. Suas consequências são nefastas para os jovens e para toda a sociedade, pois traumatiza suas vítimas, provocando uma série de sintomas. A violência não se restringe apenas às escolas públicas da periferia. Ela está presente também na rede privada de ensino, sejam escolas ricas ou pobres. Muitas crianças e jovens são vítimas e sofrem terrivelmente e em silêncio durante anos, à vista de seus professores, maus-tratos, humilhação pública, rejeição social, etc.

O bullying está presente nas escolas do mundo todo, mas somente agora, diante de muitos casos, vem se tornando notório em nossa nação. Que você aproveite esta oportunidade ímpar que o Senhor lhe concede para orar em favor das vítimas deste fenômeno e orientar seus alunos que também podem estar sofrendo algum tipo de violência no âmbito escolar. Leia sobre o assunto, pesquise e faça a sua parte como cristão e professor a fim de que o bullying seja erradicado de nossas instituições de ensino e que jamais encontre espaço em nossas igrejas.

O QUE É BULLYING?
Você pode não saber a definição certa dessa palavra, mas com certeza já ouviu sobre este assunto, ou quem sabe, infelizmente tenha sofrido na própria pele. É uma palavra inglesa que deriva de bully, cujo significado é "valentão". Não existe uma tradução para a nossa língua, mas hoje o termo se refere a todas as formas de agressões, sejam elas verbais ou físicas, sem motivação contra uma ou mais pessoas em ambiente escolar. São aquelas palavras e atitudes que ofendem e ferem os outros, como por exemplo, ser chamado de nerd, fraco, baleia, perdedor, "Bíblia", etc.

Como cristãos, não podemos compactuar nem participar de tal violência contra o próximo. Tome cuidado com quem você anda, pois a Bíblia diz que "Quem anda com os sábios será sábio, mas quem anda com os tolos acabará mal" (Pv 13.20). Cuidado, pois "Não se enganem: 'As más companhias estragam os bons costumes"' (l Co 15.33). Como cristão, você precisa ser um agente de transformação. Por isso, jamais se conforme com a mentalidade perversa daqueles que não conhecem a Cristo. Muitos jovens, para serem populares, acabam compactuando com a violência física ou verbal contra pessoas inocentes.

Segundo a autora do livro Fenômeno Bullying, esta "é uma das formas de violência que mais cresce no mundo". Esse fenômeno social não está restrito ao ambiente escolar, podendo ocorrer em qualquer contexto social, como por exemplo, na família e, infelizmente, até nas igrejas. "Na igreja?" Sim. Conheço a história de um adolescente que veio com sua família de outro estado e passou a frequentar a igreja e a Escola Dominical. Ele deveria ser bem recebido e acolhido pelos adolescentes, mas não foi o que aconteceu. Ninguém se aproximava do jovem, além de rirem do modo como se vestia e do seu sotaque. Quem gosta de ser rejeitado e colocado de lado? Ninguém! Se os professores não interviessem, o jovem certamente não voltaria mais a igreja. Agindo desta forma, os jovens desta igreja estavam dando um testemunho cristão?

AUXILIO DIDÁTICO
Professor, escreva a indagação do tópico l no quadro e peça que os alunos a responda. Em seguida, pergunte se na classe algum aluno já foi vítima de bullying. Caso tenha algum aluno ouça o seu relato com atenção e peça que ele (a) diga como se sentiu. Para embasar a discussão em classe, leia o texto da pesquisadora Cleo Fante: "Podemos considerar o bullying como um fenômeno novo, porque vem sendo objeto de investigação e de estudos nas últimas décadas, despertando a atenção da sociedade para suas consequências nefastas, uma vez que evidencia pela 'desigualdade entre iguais', resultando num processo em que os 'valentões' projetam sua agressividade com requintes de perversidade e de forma oculta dentro de um mesmo contexto escolar. Por outro lado, considera-se o bullying como um fenômeno bastante antigo, por se tratar de uma forma de violência que sempre existiu nas escolas — onde os 'valentões' continuam oprimindo e ameaçando suas vítimas por motivos banais — e que até hoje ocorre despercebida da maioria dos profissionais de educação.

Definimos o bullying como um comportamento cruel intrínseco nas relações interpessoais, em que os mais fortes convertem os mais frágeis em objetos de diversão e prazer, através de 'brincadeiras' que disfarçam o propósito de maltratar e intimidar" (FANTE, Cleo. Fenómeno Bullying: Como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. 1 ed. São Paulo: Verus, 2005, p. 29).

O QUE LEVA AS PESSOAS A PRATICAREM O BULLYING?
Muitas são as causas. Uma delas é a falta de disciplina e de estrutura familiar. Muitos pais se tornaram permissivos e já não disci­plinam mais seus filhos. Esses pais deixaram de ensinar princípios básicos de amor e de respeito ao próximo. Quando a família vai mal, toda sociedade sofre; por isso, o Diabo sempre intentou desestabilizar a família.

Alguns pais se esquecem de dar o exemplo no lar, agridem e tratam mal uns aos outros. Seus filhos crescem sem um referencial e passam a acreditar que a violência é algo normal. Alguns que praticam o bullying, na verdade, foram feridos, magoados e sofre­ram na própria pele algum tipo de bullying. Cansados de sofrer, feridos no corpo e na alma, passam, então, aferiras outros. Uma pessoa machucada tende a ferir o outro criando um ciclo de violência.
Outra causa apontada pelos especialistas é o fato de que alguns se acham melhor que os outros. Porém, esse "ar de superioridade" é como se fosse um escudo para esconder um sentimento de inferioridade. Seja qual for a causa, não podemos aceitar qualquer tipo de violência. Estamos vivendo tempos difíceis (2 Tm 3.1-9) e as pessoas estão cada vez mais distantes de Deus, mais doentes, carentes e sem amor. O mundo precisa de Jesus.

AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, observe algumas consequên­cias psíquicas e comportamentais dobullying segundo Ana Beatriz Barbosa e Silva na obra "Mentes perigosas nas escolas": "Além de os bullies escolherem um aluno-alvo que se encontra em franca desigualdade de poder, geralmente este também já apresenta uma baixa autoestima. A prática de bullying agrava o problema preexistente, assim como pode abrir quadros graves de transtornos psíquicos e/ou comportamentais que, muitas vezes, trazem prejuízos irreversíveis. [...] Não somente crianças e adolescentes sofrem com essa prática indecorosa, como também muitos adultos ainda experimentam aflições intensas advindas de uma vida estudantil traumática. Os problemas mais comuns com que me deparo são: sintomas psicossomáticos, transtorno do pânico, fobia escolar, fobia social, transtorno de ansiedade generalizada, depressão, anorexia e bulimia, etc.
Sintomas psicossomáticos
Os pacientes tendem a apresentar diversos sintomas físicos, entre os quais podemos destacar: cefaléia, cansaço crônico, insônia, dificuldades de concentração, sudorese, tremores, etc. Vale a pena ressaltar que estes sintomas, sejam isolados ou múltiplos, costumam causar elevados níveis de desconforto e prejuízos nas atividades cotidianas do indivíduo" (SILVA, Ana Beatriz Barbosa. Mentes perigosas nas Escolas: bullying. 1 ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010, p. 25.).

O EXEMPLO DE JESUS
Jesus nos ensinou amar a Deus e ao nosso próximo (Mt 22.35-39). Não podemos permitir que a cultura nos influencie, e sim Jesus, nosso Salvador. Ele é o nosso modelo de caráter. Se observarmos o caráter de Cristo, veremos que é o oposto daqueles que praticam o bullying.
Observe:

a) Jesus era manso e humilde de coração (Mt 11.29).
A mansidão é uma virtude que, nem sempre todos têm. Ser manso não é ser bobo, e sim se opor a toda forma de desumanidade e crueldade. Jesus sempre se mostrou manso e benigno de coração (2 Co 10.1). Diante de seus executores, Ele não abriu a boca, não feriu ou maltratou ninguém. Como você reage diante daqueles que lhe maltratam? Agir com mansidão é uma atitude para os fortes.

b) Jesus era misericordioso.
Ele demonstrava compaixão diante das necessidades alheias. Certa vez, Jesus narrou a história do Bom Samaritano a fim de ensinar a respeito do amor e compaixão pelos necessitados (Lc 10.25-37). Nessa história, tanto o sacerdote quanto o levita passam, veem o homem caído no caminho e não fazem nada por ele. Do mesmo modo, muitos veem um colega caído, sofrendo algum tipo de violência e não fazem nada para ajudar. Agem com indiferença, fingindo não ver nada. Você ajudaria alguém que está sofrendo buïlying? O que Jesus quer que você faça?

c) Jesus era pacificador.
Na medida do possível, você procura conviver bem com todos ou você é do tipo brigão (Rm 12.8)? Há pessoas que, ao invés de amenizar os ânimos, acabam colocando mais fogo e incentivando outros a agirem com violência, a brigarem e a maltratarem o seu semelhante. A Bíblia diz que devemos nos despojar da raiva, da paixão e dos sentimentos de ódio (Cl 3.8).

AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, segundo a autora Ana Beatriz Barbosa, "os agressores com traços genuinamente perversos podem ser identificados, ainda precocemente, por meio de um histórico de vida repleto de condutas, como as exemplificadas a seguir:
Mentiras constantes em diversos ambientes e situações.
Crueldade com animais, irmãos e coleguinhas.
Comportamento desafiador diante das figuras de autoridade, como pais e professores.
Falta de responsabilidade.
Acessos de fúria quando frustrados ou contrariados, muitas vezes com revides.
Insensibilidade, ausência de culpa ou remorso.
Falta de constrangimento quando pegos em flagrante.
Fugas de casa ou da escola.
Violação de regras de forma ampla, mesmo ciente de que estão errados e sujeitos a sanções.
Participação em fraudes, roubos ou furtos.
Uso precoce de drogas.
Sexualidade precoce exacerbada, podendo chegar a atos extremos, como violentar crianças ou adolescentes mais frágeis. Ato de vandalismo, com destruição do património público e alheio".
(SILVA, Ana Beatriz Barbosa. Mentes perigosas nas Escolas: bullying. 1 ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010, p. 52.)

CUIDADO COM O CYBERBULLYING
A violência, infelizmente, também está presente nas redes sociais. em geral, os danos causados às pessoas são maiores. Existem casos em que as vítimas chegaram a dar fim a própria vida depois de sofrerem com a calúnia, a difamação e com pastagens de fotos e vídeos indevidos que ofenderam e prejudicaram a imagem da pessoa. Você conhece algum caso desse tipo? Isso mostra que acontecimentos como estes são comuns em nossos dias.

As pessoas se valem do anonimato para inventar mentiras, difamar as pessoas, inventar boatos, etc. Na maioria das vezes, os agressores criam um perfil falso, trocam o nome e se passam por outra pessoa. Dificilmente, a pessoa consegue apagar o rastro de vergonha e dor deixado pelos praticantes do ciberbullying.

No livro de Provérbios, encontramos vários textos que tratam a respeito da língua mentirosa e da calúnia (Pv 6.17; 12.17,22; 14.5). A difamação, em especial, nos blogs e nas redes sociais tem feito muitas vítimas. A calunia é devastadora e consegue separar até os amigos mais íntimos (Pv 16.28). O Diabo é o pai da mentira (Jo 8.44) e toda mentira e engano procedem dele. Saiba que Deus abomina a língua mentirosa (Pv 6.17).

Nossa maneira de falar e o que postamos nas redes sociais nos identificam, revelando o nosso verdadeiro eu, pois falamos e escrevemos o que está em nosso coração (Mt 12.34). E do coração, ou seja, do íntimo do ser humano que procedem os males. Certa vez, Pedro foi identificado como alguém que esteve com Jesus somente pelo seu linguajar (Mt 26.73). Sua fala nas redes sociais evidencia que você é um cristão?
Coloque V (verdadeiro) ou F (falso):
( V) Você é especial, Deus o ama e estará sempre ao seu lado.
( V) Jesus era pacificador.
(F ) Ser manso é ser bobo.
(V) O Diabo é o pai da mentira.
(V) O Bullying "é uma das formas de violência que mais cresce no mundo".

O QUE FAZER EM CASO DE BULLYING
É indispensável que você não esconda de seus pais. Converse, diga o que você tem enfrentado, seja honesto. Na escola, dialogue com seus professores e coordenadores. Aprenda a se valorizar. Mesmo que digam o contrário, você foi criado pelo Deus Todo--Poderoso. Você é especial e "se Deus está do nosso lado, quem poderá nos vencer? Ninguém!" (Rm 8.31). Comumente, as pessoas que tentam colocar os outros "para baixo" são as que não sabem lidar com a própria autoimagem. Você é especial, Deus ama você e estará sempre ao seu lado.

Recapitulando
Como vimos no lição de hoje, o bullying é um fenômeno mundial, po­rém não é algo novo. Segundo a autora do livro Fenômeno Bullying, Cleo Fante, este "fenômeno estimula a delinquência e induz a outras formas de violência explícita, produzindo em larga escala, cidadãos estressados, deprimidos, com baixa autoestima e pouca capacidade de autoaceitação [...]". As consequências são as piores possíveis. Como servos de Deus, não podemos nos conformar com a maneira de pensar e agir da nossa sociedade (Rm 12.2). O bullying é cruel e desumano e deve ser combatido por todos. Vivemos em uma sociedade deturpada onde o amor pelo semelhante está se esgotando cada vez mais, e somente a luz do evangelho entrando pode mudar o quadro desta situação.

Refletindo

1. Que atitudes ofensivas podem ser caracterizadas como bullying! R: Todas as formas de agressões, sejam elas verbais ou físicas, sem motivação.


2. Que qualidades do caráter de Cristo são opostas aos que cometem bullying?
R: Mansidão, humildade e misericórdia.


3. Que cuidados devem ser tomados a fim de que se evite o ciberbullying?
R: Não revelar o telefone nem o endereço. Ter cuidado com as fotos e jamais marcar encontro com pessoas que se conhece apenas pelas redes.



Revista de Adolescentes - 13 a 14 anos: 3º Trimestre de 2017 - Tema: Vivendo em Sociedade: Cpad.mais »

Clique nos links abaixo

através deste site.Almeida Revista e
Atualizada
Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje, da Sociedade Bíblica do Brasil. através deste site.
BÍBLIA ONLINE
Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 3° trimestre de 2017, CPAD.
Fonte: www.sub-ebd.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário